Floripa – Depois dos desfiles das escolas de samba

dascuia 1

A transmissão dos desfiles das escolas de samba de Florianópolis teve uma parceria que deu certo: site Na Avenida, Rádio Sambista e Rádio Guarujá. Conseguimos realizar um primeiro sonho: transmitir o desfile das escolas de samba da nossa cidade, com ouvintes pelo mundo inteiro. Muitos feed-backs de pessoas de outras cidades em relação à parceria e foi muito positiva. E hoje, 27/02/2017 a parceria continua com a Rádio Guarujá na apuração das notas dos desfiles a partir das 14:00 horas, direto da Passarela do Samba Nego Quirido.

Passado os desfiles, a equipe Na Avenida, em verdadeiro respeito à tradição e à luta das comunidades para promover o desfile de suas respectivas agremiações, decidiu elencar apenas aquilo que foi o maior destaque positivo das escolas de samba, suspendendo quaisquer juízos acerca das deficiências ou falhas.

De antemão, o site Na Avenida se solidariza com a Escola de Samba Dascuia pelo fato ocorrido com seu primeiro casal de Mestre-sala e Porta-Bandeira (foto), pois esse não é momento para críticas, mas de estender a mão e oferecer apoio.

Passamos então à análise, conforme a ordem do desfile:

CONSULADO: retornando ao Grupo de acesso, a agremiação do Caeira do Saco dos Limões abriu o desfile numa pegada muito boa, tanto em relação à condução do samba pelo grupo musical com o intérprete Gilsinho, quanto em relação à bateria do Mestre Biscoito que manteve a mesma pegada do começo ao fim do desfile. A propósito, o apelo emocional do samba fez com que seus componentes, de volta ao Grupo Especial desfilassem com bastante garra.A escola fez um desfile técnico como nos seus tempos áureos dos seus desfiles. Harmonia e evolução impecáveis demonstrando que todo trabalho desenvolvido valeu à pena. Comissão de frente muito bem vestida! A presença de Dona Iraci, presidente de honra da agremiação e homenageada na última alegoria, foi o ponto alto do desfile.

OS PROTEGIDOS DA PRINCESA: a segunda escola de samba a desfilar apostou no material humano da comunidade para o desfile e acertou. Os componentes desfilaram com muita garra, como na escola anterior. O samba de excelente qualidade na voz do intérprete Alan conseguiu contagiar seus componentes, além da qualidade peculiar de sua bateria, sob o comando do Mestre Marcelo Dutra. Isso foi suficiente para que a agremiação pudesse atravessar a Nego Quirido empolgada. A escola evoluiu bem na passarela. A nova geração trazida pela agremiação, também vista nas demais,

NAÇÃO GUARANI:  a agremiação da cidade de Palhoça, aos olhos de quem estava nas cabines, pareceu ser a que levou maior número de componentes. Foi a escola de samba que levantou as arquibancadas entre a segunda e terceira cabine de jurados, principalmente durante a execução dos refrões, cantados pelo intérprete Tiganá e seu grupo musical. Destaque para a comissão de frente, que na opinião do comentarista Sandro Roberto foi a melhor entre as escolas, em razão do fato de ter preparado coreografia para o público e para apresentar diante da comissão julgadora, cumprindo seu papel de apresentar a escola. Foi a única neste sentido. A cada movimento, conseguiu interagir com o público, que vibrou e aplaudia seu desempenho. A bateria do mestre Juninho também levantou a arquibancada com as suas bossas e a cada momento que coreografava.

EMBAIXADA COPA LORD: a escola de samba do Morro da caixa, comemorando mais um ano de fundação, mostrou um conjunto de desfile muito positivo. Até a contagem do tempo de 40 minutos, fez um desfile impecável, no que se refere à evolução. O samba foi muito bem conduzido pela equipe de canto, que tinha como intérprete oficial o nosso parceiro de site Nellipe, que vem evoluindo a cada ano. A bateria, sob o comando dos Mestres Bokera e Biriba também conseguiu cumprir seu papel, principalmente em relação à inserção de instrumentos para adequação ao tema proposto. As fantasias da Embaixada Copa Lord foram as mais luxuosas, dentro da realidade de corte de repasse de verbas que afetou as escolas.

UNIDOS DA COLONINHA: A agremiação do Continente foi a escola que conseguiu mais bem aproveitar o tempo na passarela sem que para isso precisasse correr com os componentes ou diminuir a cadência. Prova de que um trabalho da equipe de harmonia e evolução bem planejado sempre dará bons frutos. As fantasias conseguiram passar para as pessoas que O samba cantado pelo intérprete Petoko e sua equipe musical  deram conta do recado e contagiaram seus componentes. Mestre Du conduziu muito bem sua bateria, não perdendo a qualidade de anos anteriores. As crianças da Unidos da Coloninha foram as mais animadas da noite, apesar do adiantado da hora.

DASCUIA: fechando os desfiles do carnaval de Florianópolis, a agremiação do Morro do Céu destacou-se pelas cores de suas fantasias e materiais escolhidos, que puderam ter um bom impacto com a luz do dia que já aparecia, não tirando os efeitos de luzes que cada alegoria apresentou. A comunidade cantou o samba da escola conduzido pelo intérprete Mará e sua equipe musical, mantendo a pegada do começo ao fim do desfile. A comunidade do Morro do Céu conseguiu através de sua garra, superar o ocorrido com o primeiro casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira, sinal de que o povo do samba é lutador. A bateria do Mestre Dudu também não deixou a desejar. Cumpriu seu papel e teve também uma boa pegada.

Por fim, a Equipe Na Avenida deseja a todas as agremiações sucesso na apuração, ressaltando que passada a euforia, urge que seja repensada a forma de gestão do carnaval, bem como que se busque o resgate da essência das escolas de samba. Respeito ao povo do samba é necessário e o poder público tem, sim, que ter sua parcela de contribuição por se tratar de manifestação cultural não só da cidade, mas do Brasil.

Equipe Na Avenida

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

One comment

  1. “Pobre eventos de Florianópolis – Com esta vontade política e esta falta de planejamento institucional, continuamos a enganar e roubar com a cara mais deslavada do mundo nossos artistas e eventos culturais.” Esta é a cidade do me engana que eu gosto. Desta forma ate o nosso carnaval passa a ser um festere a beira do abismo.

Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *