Gestão 2010/13 Consulado – Esclarecimento

consulado

O Blog Na Avenida, recebeu na tarde de hoje(25) da representante da antiga gestão (2010/2013) da Gres Consulado, Sra Aidê Quadros, um e-mail ao qual explana “realidade financeira” da escola deixada para a gestão atual. Segundo e-mail, inverdades foram pronunciadas através do presidente Valcione Furtado, na tentativa de justificar o rebaixamento da escola neste ano. Segue na íntegra o texto que nos foi encaminhado, e deixamos aberto à diretoria da Gres Consulado para publicação das respostas se assim desejarem.

 

GRES CONSULADO – GESTÃO 2010/2013

REALIDADE FINANCEIRA EM 27 DE ABRIL DE 2013

Devido as inverdades e justificativas do presidente do GRESC, apresentadas ao mundo do samba para disfarçar a sua incompetência no desfile oficial das escolas de samba em 2015, levando a ESCOLA ao rebaixamento, vimos mediante a presente nota, esclarecer alguns fatos:

Em 2009 conquistamos o sétimo título da história da Escola, com um dos maiores carnavais, realizados pelo GRES Consulado. Dez meses depois, a LIESF com apoio da representante da nossa ESCOLA, hoje, Presidenta do Conselho Deliberativo, decidiu desclassificar a nossa agremiação de forma arbitrária, desobedecendo o regulamento do desfile.

A diretoria da Escola, ainda em 2009, por orientação de seus advogados, resolveu judicializar o processo para defender o título conquistado. A partir daquele momento, a nossa ESCOLA começou a sofrer uma série de ataques virtuais anônimos, agora, conhecidos, em redes sociais e blogs da cidade. Ofensas e calúnias foram dirigidas à Diretoria da gestão anterior por pessoas mal informadas, na época. Além disso, foi iniciado um processo para interdição da quadra de ensaios, provocado por dirigentes da associação de moradores, que denunciaram ao Ministério Público do Estado, Procuradoria do Município de Florianópolis e até na 2ª Vara, o barulho que a Escola fazia no bairro que incomodava os moradores. Agora, após dois anos de mandato da nova Diretoria, vemos essas mesmas pessoas denunciantes, tocando na bateria, nos ensaios, dentro da Quadra.

Na AGO de abril de 2013, convocada para prestação de contas e eleição de nova Diretoria, os membros do Conselho Fiscal levantaram tantas suspeitas infundadas a respeito da prestação contas de 2012, que induziram os associados a não aprovarem as contas de 2012. Mais tarde, a mesma prestação de contas foi analisada pela auditoria externa contratada, que não encontrou nem uma irregularidade e dessa forma, os Conselhos Fiscal e Deliberativo foram obrigados a emitir parecer favorável, e na AGE de agosto de 2014, as contas foram aprovadas.

Agora, após o rebaixamento do Consulado para o Grupo de Acesso em 2016, o presidente da escola, tenta mais uma vez, justificar o INJUSTIFICÁVEL, dizendo ser impossível administrar o GRES Consulado com tantas dívidas deixadas pela gestão anterior.

Por essas inverdades, levamos ao conhecimento dos nossos associados, simpatizantes da nossa ESCOLA, amigos e ao povo do samba, que a realidade financeira do GRES Consulado em 27 de abril de 2013, era a seguinte:

O contas a pagar em 27.04.2013, na ordem de R$ 522.460,38 (quinhentos e vinte e dois mil, quatrocentos e sessenta reais e trinta e oito centavos) compreendia valores devidos a diretores, R$ 139.610,60, à empresa Consulado Comércio, R$ 140.843,25, ao Projeto Social, R$ 34.900,00 e a compra de materiais e prestação de serviços de carnaval, R$ 207.106,85, sendo R$ 122.699,27 de carnavais anteriores e R$ 84.407,26 para o Carnaval de 2014.

Para cobertura da dívida de carnavais anteriores no valor de RS 122.699,27 (cento e vinte e dois mil, seiscentos e noventa e nove reais e vinte e sete centavos), a Diretoria da gestão anterior deixou RS 60.000,00 (sessenta mil reais) em banco e iniciou a negociação para a venda do terreno para pagar o restante da dívida, que era de apenas RS 62.699,27.

Portanto, a diretoria da gestão anterior, não deixou dívidas que prejudicassem os trabalhos do GRES Consulado, nos carnavais de 2014 e 2015, porque as dívidas em abril de 2013 no valor de R$ 315.353,85 (trezentos e quinze mil, trezentos e cinquenta e três reais e oitenta e cinco centavos), eram referentes a empréstimos de diretores, Consulado Comércio e Projeto Social, que até o momento, não houve nenhum tipo de negociação, por falta de interesse da Diretoria da gestão atual.

Florianópolis, 23 de março de 2015

Diretoria Gestão Anterior

2010/2013

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *