Impasses do Carnaval 2015

burocracia

Todos nós sabemos que o carnava 2015, apesar de ter sido bem elaborado pela gestão atual da LIESF, no comando do Presidente Joel Brígido, teve diversas dificuldades ocasionadas pelas dificuldades dos repasses financeiros.

Foi geral a reclamação das dificuldades impostas pelo novo sistema de repasses de verbas públicas às escolas de samba. Os valores previamente elaborados através de projetos antecipados formalizados pela escolas de samba e liga, foram desmerecidos e alterados quando efetivamente os repasses foram formalizados. Divergências de valores e dificuldades com notas foram as principais reclamações entre os profissionais das escolas de samba e diretores.

Além disso, o repasse dos direitos televisivos da RBS TV ainda não foram repassados às escolas, dificultando e quebrando parte dos planos financeiros das escolas.

Tais dificuldades de logísticas financeiras esta sendo refletida neste momento na página oficial da escola de samba Unidos da Coloninha. Uma nota foi publicada na tentativa de explicar ao profissionais que ainda não receberão seus valores, a real situação da demora quanto aos valores ainda abertos.

A nota publicada na íntegra é:

“NOTA OFICIAL

A Diretoria Executiva da Unidos da Coloninha vem a público esclarecer os fatos que estão causando o atraso no pagamento dos prestadores de serviços contratados para o Carnaval 2015.

Conforme é sabido, as escolas de samba possuem um orçamento reduzido de valores para a realização do carnaval. O orçamento consiste em verba recebida da Prefeitura Municipal, Governo do Estado de Santa Catarina, Tractebel e Direitos de Transmissão. Estes recursos são repassados para a LIESF que posteriormente repassa para as Escolas de Samba conforme determinação da própria Liga. Além disso, obtém algum recurso com venda de fantasias e camisetas.

No último ano, ainda sob a antiga gestão da LIESF, tivemos grandes dificuldades em receber os recursos do Governo do Estado, causando grande atraso, sendo que os profissionais somente receberam no final do mês de maio. Mas, com todas as dificuldades, conseguimos quitar os contratos de todos os profissionais.

Neste ano, já sob o comando da nova gestão da LIESF, houve atraso no pagamento da última parcela da Prefeitura Municipal que saiu somente após o Carnaval, causando sérios transtornos, haja vista que era uma verba extremamente necessária para a realização do desfile.

Além disso, até a presente data não foi pago o valor referente aos direitos de transmissão. Por conta disso, vários profissionais que trabalharam no Carnaval 2015 ainda não conseguiram receber o seu pagamento. A LIESF tem tentado a resolução do problema, porém é necessário que seja firmada uma data pelo responsável pelo pagamento, para que possamos passar para as pessoas. Até a presente data, não obtivemos uma resposta definitiva, tendo sido informado anteriormente que o pagamento deveria ser realizado até o dia 06/05/2015.

Na data de ontem, quando todos esperavam receber o pagamento, quase três meses após a realização do desfile, houve uma reunião na Secretaria de Turismo de Florianópolis, sem a participação das Escolas de Samba, de onde sairia a data do pagamento dos direitos de transmissão, porém, mais uma vez, recebemos ofício da LIESF, dizendo que a decisão sobre o pagamento foi adiada para sexta-feira.

Desde o Carnaval as Escolas de Samba só tem feito dar explicações aos prestadores de serviços, tentando amenizar a angústia dessas pessoas que trabalharam muito pelo nosso carnaval e que não conseguem receber. A grande maioria dessas pessoas tem essa verba embutida no orçamento familiar, o que agrava ainda mais a situação. E, mais uma vez, as Escolas de Samba saem como vilão de uma situação mal contratada.

Estamos ouvindo falar em projeto carnaval 2016, calendário, projetos, etc. A Diretoria Executiva da Unidos da Coloninha não aceita falar em Carnaval 2016, pois o Carnaval 2015 ainda não acabou. Enquanto todos os profissionais não forem devidamente remunerados não iremos tratar de carnaval 2016. Como vamos explicar aos nossos prestadores de serviços que estamos trabalhando no próximo carnaval se ainda não conseguimos quitar os pagamentos do carnaval anterior?

Esse esclarecimento é necessário, pois se tem lançado vários boatos de que as escolas de samba não cumpriram com as suas obrigações junto aos prestadores de serviços. De fato, não conseguiram cumprir, mas não foi por má administração ou má-fé, foi por falta de pagamento dos valores constantes do orçamento do carnaval 2015.

E já que ninguém veio a público até hoje dar uma explicação e uma satisfação a todos esses profissionais que vivem essa angústia, a Diretoria Executiva da Unidos da Coloninha informa que, mais uma vez, teremos que esperar a boa vontade e o comprometimento dos responsáveis para que possamos cumprir com a obrigação de honrar com o pagamento dos contratos de prestação de serviços.”

(fonte: http://coloninha.org.br/teste/ )

Em resposta à publicação oficial da unidos da Coloninha, a Liga das Escolas de Samba de Florianópolis publicou a seguinte nota:

A Liga das Escolas de Samba de Florianópolis vem a público esclarecer algumas informações que constam na nota oficial publicada nesta quinta-feira (7) pela Escola de Samba Unidos da Coloninha em sua página oficial no Facebook.

A Liesf reafirma a responsabilidade pelos repasses públicos às escolas de samba, sendo verbas da Prefeitura Municipal de Florianópolis, do Governo do Estado de Santa Catarina, além dos recursos privados oriundos dos direitos de transmissão dos desfiles.

Os repasses públicos foram efetuados de maneira diferente. Ambos obedeciam a obrigatoriedade de planos de trabalho com atividades específicas. O convênio da Prefeitura Municipal de Florianópolis foi dividido em 3 parcelas: 24 de dezembro de 2014, 22 de janeiro de 2015 e 12 de fevereiro de 2015.

Como responsável direto pelo repasse, a Liga criou processos que se adequassem às normas da Prefeitura, entre eles, as Notas Fiscais de Produtos e Serviços que devem estar de acordo com o plano de trabalho.

Além disso, a destinação da receita foi feita através de transferência bancária, assim exigindo também que, além da nota, os proponentes deveriam fornecer os dados bancários corretos para tal transferência.

Todos as notas trazidas pelas escolas de samba até o desfile foram pagas e sem problemas subsequentes. No caso da Sociedade Recreativa e Cultural Unidos da Coloninha, houve um atraso referente à entrega da documentação com tempo hábil para o repasse ser efetuado no mesmo dia.

As notas da Unidos da Coloninha (três documentos) foram entregues na sede da LIESF na tarde do dia 13 de fevereiro de 2015, sexta-feira de carnaval. Além De extrapolar o prazo hábil para efetivação do repasse, também ocorreu um erro na informação dos dados bancários dos fornecedores, fator este que impossibilitou o pagamento no mesmo dia. A verba foi efetuada com sucesso no dia 19 de fevereiro, quinta-feira após o desfile.

A Liesf informa ainda que o Plano de Trabalho da Prefeitura Municipal de Florianópolis previa o limite individual por escola do Grupo Especial de R$ 111.250,00 para serviços de aderecistas, R$ 27.656,60 para serviço de escultores e pintores e R$74.000,00 para serviço de Grupo Musical.

O plano de trabalho do Governo do Estado também previa o pagamento de serviços. Foram destinados R$ 20.000,00 para serviço de carnavalesco, R$ 80.652,00 para serviço de costureiras e R$ 28.823,00 para serviço de serralheiros.

Foi destinada no total, à Unidos da Coloninha, do convênio com o município de Florianópolis, a quantia de R$ 342.381,60.

A Liga esclarece que emitiu um comunicado direto para as diretorias de todas as escolas de samba filiadas que o repasse atrasado referente à transmissão dos desfiles será assunto em de reunião que ocorrerá nesta sexta-feira, dia 8 de maio, para colocar fim ao impasse.

Por fim, a Liga das Escolas de Samba de Florianópolis reafirma a sua diretriz, implementada pela nova diretoria, de projetar, fomentar e executar o carnaval o ano inteiro. A Liesf já iniciou as tratativas para o carnaval 2016 que será ainda mais promissor, consolidando Florianópolis como o “Terceiro Maior Carnaval do País”.

O Espetáculo é do Povo, o Dever é Nosso!

DIRETORIA EXECUTIVA DA LIESF”

(fonte: https://www.facebook.com/liesfloripa/posts/890987480962483:0 )

O fato é, a dificuldade burocrática estabelecida, seja pelo Governo do Estado ou Prefeitura de Florianópolis, colaborou para a dificuldade da execução dos trabalhos. Diariamente a Liga das Escolas de Samba era um entra e sai de diretores, presidentes e fornecedores de serviços, apresentando documentos, notas, orçamentos. Acreditamos que a burocracia financeira vem de encontro à credibilidade, transparência nos repasses e na dificuldade de desvio de valores com notas frias. Porém, a realidade do carnaval de Florianópolis, especificamente de escolas de samba onde passam o ano inteiro sem sequer ter esclarecimentos ou cursos de gestão financeira cultural, não sabem exatamente quando e quanto irão receber para o próximo carnaval, acaba fomentando ainda mais as dificuldades de estabelecer um trabalho correto entre as escolas de samba e as entidades disponibilizadoras dos repasses.

O Carnaval de 2015 foi exemplo para todos que é necessário estabelecer um critério financeiro para os repasses. É necessário estabelecer um gestor financeiro nas escolas de samba durante o ano, para que estes venham a participar de cursos de gestão financeira, adequando as necessidades das escolas de samba às necessidades regulamentares dos convênios.

O que mão se pode é preparar mais um carnaval sem um apoio verdadeiro às entidades. É preciso estabelecer agora, um ação para administrar financeiramente o carnaval. Antecipar e promover a qualificação desses profissionais responsáveis pela viabilização financeira das escolas, vai reduzir e muito o tortuoso período de transferência dos repasses.

Planejar e se preparar é a alma do sucesso!

Observação: Ao fechar esta nota e a mesma ser publicada, minutos depois tive a informação que a LIGA das Escolas de Samba realizou um curso com os departamentos financeiros das escolas. Os trabalhos executados com os diretores financeiros reduziram bastante as dificuldades posteriores. Tais problemas como se declara na nota oficial da Unidos da Coloninha são considerados dentro de uma margem de erro tolerável. A importância de salientar que tal serviço já vem sendo executado dentro da liga, reforça ainda mais que estão na linha certa, e que o planejamento agregado de consultorias ainda mais elaboradas tendem a reduzir cada vez mais as dificuldades das escolas.    

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *