Uma luz brilhou

Após dias exaustivos e dois cancelamentos oficiais por parte da prefeitura atual e futura, podemos ver hoje uma virada estratégica que “abalou Bangu”.

Aos fatos:

Na tarde do dia 10/12, o futuro Prefeito Cesar Junior, concedeu uma coletiva para se posicionar sobre alguns assuntos de transição. Um deles seria a realização do carnaval, especificamente os desfiles das escolas de samba de Florianópolis. O Prefeito Dário Berger havia liberado 50% do valor dos convênios ás escolas, porém, o dinheiro estaria bloqueado, aguardando confirmação do então prefeito que realizará o evento, Cesar Junior.

Cesar em sua coletiva, deu um banho de água fria na comunidade do samba, informando que não haveria os desfiles das escolas de samba por não haver tempo hábil para a organização do evento. Na mesma entrevista, Cesar confirmava um futuro encontro para o dia 11/12 com os presidentes das escolas de samba para conversar sobre sua decisão.

Veja o vídeo da coletiva de Cesar.

Após a coletiva, os presidentes se prepararam para a então reunião com o Prefeito Cesar Junior.

Em seu escritório, foram recebidos pelo Prefeito, os presidentes das escolas de samba do grupo especia, presidentes do grupo de acesso, liga dos blocos carnavalescos de Florianópolis e grandes sociedades. Na mesa, foram colocadas propostas ao Prefeito para a realização dos desfiles sem onerar os cofres públicos municipais na gestão de Cesar. O Prefeito demonstrou interesse em autorizar a passarela, porém a confirmação será no dia 12/12, logo após uma analise de sua equipe jurídica.

Logo após a reunião com o Prefeito, os presidentes foram para a sala da Liesf, pois precisavam deliberar e preparar o documento oficial da decisão da Liga em se responsabilizar pelo desfile de 2013 e solicitar ao futuro Prefeito o apoio na questão logística básica.

Uma cena que marcou foi a união em mesa de trabalho com LIESF, LEGRAN e LBCAF. Ambas trabalhavam na elaboração do documento oficial, e a sensação é que a organização se repetira na organização do evento. Apenas uma escola ficou ausente dos trabalhos. A escola Protegidos da Princesa, presidida por Moacyr Gomes, não assinou o documento oficial. A ausência do Presidente neste ato importante para o carnaval de Florianópolis foi lamentada pelos demais.

Veja aqui os documentos oficiais disponibilizados pela LIESF.

 

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

2 comments

Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *